DSC_9715

COMPETÊNCIA E CRESCIMENTO CONSOLIDADO AO LONGO DOS ANOS.

DSC_9433

A área de concessão da Sociedade Mineira do Chitotolo, Lda insere-se nas primeiras a ser exploradas pela DIAMANG, reconhecidamente pela qualidade das suas jazidas.

O desenvolvimento desta área deu lugar à fundação de Vila Paiva de Andrada, actualmente cidade do NZagi, que concentrou à época importantes estruturas de apoio às operações.

Na região do NZagi a Endiama desenvolvia através de seus quadros técnicos, as actividades de exploração diamantífera, ficoaram conhecidas como Projecto Penz. Posteriormente, no âmbito do próprio projecto, a KNR (actualmente ITM Mining Limited) foi contratada pela Endiama, que passou a desenvolver as funções de operadora.

Naquela época, as orientações superiores relativamente aos empreendimentos mineiros existentes e os a constituir, eram de fazer com que as empresas estrangeiras participassem dos investimentos e desta forma reduzir os riscos para o Estado e para a própria Endiama.

O resultado positivo da contratação da ITM como prestadora de serviços no Penz e o cumprimento por parte da Endiama das directrizes Governamentais, fizeram com que esta identificasse a solução de uma “joint-venture como a melhor forma de dar continuidade às actividades do projecto.

Foi desta forma que se constituiu a Associação em Participação entre a ENDIAMA – Empresa Nacional de Diamantes de Angola, U.E.E., a ITM Mining Limited e a LUMANHE Mineira, Lda, associação esta aprovada pelo Decreto n.o 36/96 de 30 de Agosto.

A responsabilidade das Operações Mineiras foi assim atribuída à ITM MIning Limited, tendo a associação como objetivos:

  • Exploração e tratamento dos minérios dos jazigos e re-tratamento dos depósitos de rejeitados existentes na área de concessão;
  • Prospecção, pesquisa e reconhecimento de jazigos de diamantes e avaliação de depósitos de rejeitados existentes na área coberta pela Licença de Prospecção e de acordo com o Programa de Investigação Geológico-Mineiro aprovado pelo Governo;
  • Exploração e tratamento dos minérios de jazigos de diamantes e re-tratamento de depósitos de rejeitados, à medida que forem descobertos ou seleccionados;
  • Comercialização dos diamantes nos termos da Lei 16/94.

À Associação foi-lhe atribuído um prazo de vida útil de 10 anos, prorrogável caso ainda houvesse reservas para explorar.

De notar que, apesar das circunstâncias adversas, sobretudo de segurança e logística em que a Associação em Participação desenvolvia as suas actividades mineiras, os resultados alcançados excederam as expectativas.

Perante o sucesso alcançado, entenderam os sócios existirem condições para que se prolongasse a vida do Projecto, pelo que ao fim de 8 anos de actividade a Associação foi extinta. Foi assim, que em 2004 foi constituída a Sociedade Mineira do Chitotolo, Lda, entre os mesmos sócios, mas com prazo de vida indeterminado.